Bêbados

Não gosto de bêbados. Admito, porém, que eles nos trazem histórias realmente engraçadas, principalmente quando não tem relação comigo e nada de muito grave acontece (digo “muito grave”, pois o tempo cura coisas menos graves). Percebi, de uns tempos para cá, que os bêbados são como animais, isto é, podem ser divididos em espécies, tipos. Vamos a algumas delas:

O “Bêbado amigo”: É aquele que te “considera pra caralho”, “sempre estará ao seu lado” e “não quer deixar esse laço de amizade se romper”

O “Bêbado poliglota”: O que, sem ao menos saber falar o português de forma correta, aprendem a falar todos os idiomas do planeta.

O “Bêbado animado”: Aquele que sempre te chama para fazer coisas idiotas, espalhafatosas e que te colocam em uma situação extremamente embaraçosa.

O “Bêbado triste”: A vida deste tipo de bêbado se torna uma merda após a quinta dose de Tequila. Ele grita para todos ouvirem os piores problemas que tem, joga cerveja na cabeça, pula na piscina, xinga a tudo e a todos e quando você menos espera começa a chorar e a te abraçar de forma ridícula.

O “Bêbado aventureiro”: Não importa a hora e nem o local, este bêbado precisa se exercitar e desafiar o próprio corpo. É hora de ir a lugares impensáveis andando, de escalar lugares altos, rastejar entre as pernas das pessoas, atravessar a rua quando os carros estão passando entre outro esportes radicais.

O “Bêbado negador”: É simples, ele apenas nega. Ele não está bêbado, não quer uma água, não quer ir embora, não quer nada, só mais cerveja.

O “Bêbado solidário”: Aquele que após beber, destruir tudo, vomitar em três lugares diferentes, ainda quer mobilizar as pessoas para arrumar a casa e aplica lições de moral e ensinamentos de “como beber”.

O “Bêbado sem noção”: Esse faz cocô na rua, mija em qualquer lugar que não seja o banheiro, soca o seio das amigas, dança em cima da mesa, conta todos os segredos que conhece, tira a roupa e dorme na casinha do cachorro.

O “Bêbado telefonista”: É o que liga para a agenda de contatos inteira de todos os telefones que caírem em sua mão. Esse tipo ainda consegue falar de maneira diferente com todas as pessoas, além de inventar dezenas de personagens e fazer dezenas de vozes diferentes.

O “Bêbado Cult”: Esse só bebê vinho, escuta música de boa qualidade e vomita com classe.

O “Bêbado fanfarrão”: É o novo Serginho Malandro. Faz piadas com todo mundo, aplica pegadinhas nos colegas e ri de tudo o que acontece.

“O Bêbado Pop”: Amigo de todo mundo. Puxa papo com todas as pessoas que vê pela frente.

O “Bêbado cantor”: Sabe todas as músicas que estão tocando e as acompanha com passos de dança bem peculiares.

O “Bêbado estátua”: Basicamente, não se mexe. Nunca.

Existem outros tipos de bêbado, é claro. Cada um com sua característica e uma semelhança, o ridículo de passar por uma situação como essa.

Apenas uma observação: Nenhum desses tipos foi inspirado em alguém da vida real.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s